Início Base de Dados INEM – Instituto Nacional de Emergência Médica

INEM – Instituto Nacional de Emergência Médica


O Instituto Nacional de Emergência Médica é um instituto público, pertencente ao Ministério da Saúde, responsável por coordenar o funcionamento em Portugal Continental do Sistema Integrado de Emergência Médica, garantindo aos sinistrados ou vítimas de doença súbita a pronta e correta prestação de cuidados de saúde.

Criado em 1981, através da Decreto-Lei n.º 234/81 de 3 de Agosto, o INEM absorveu o Serviço Nacional de Ambulâncias (SNA), entidade que era responsável pela coordenação, prestação de primeiros socorros a sinistrados e transporte de doentes. O SNA era detentor de uma rede própria de ambulâncias, distribuídas pelo território continental, e coordenava o então número nacional de socorro, 115.

No mesmo ano foi criado o Sistema Integrado de Emergência Médica (SIEM), que consiste na prestação de assistência às vítimas de acidente ou doença súbita, composto por seis fases distintas (Deteção, Alerta, Pré-socorro, Socorro, Transporte e Tratamento na Unidade de Saúde). Este conjunto de ações coordenadas, de âmbito extra-hospitalar, hospitalar e inter-hospitalar, só é possível devido à cooperação de diversas entidades: PSP, GNR, INEM, Corpos de Bombeiros, Cruz Vermelha Portuguesa, Autoridade Marítima Nacional, Força Aérea Portuguesa, Hospitais e outras unidades de saúde.

Operacionalmente o INEM está dividido em três delegações regionais, Delegação Regional do Norte, com sede no Porto, Delegação Regional do Centro, com sede em Coimbra e Delegação Regional do Sul, sedeada em Lisboa. As delegações Norte e Centro têm, cada uma, um Centro de Orientação de Doentes Urgentes (CODU), existindo na delegação Sul, dois destes centros, um em Lisboa e outro em Faro, no Algarve. Funciona também em Lisboa o CODU-MAR, responsável pela prestação de aconselhamento médico a situações de emergência, que se verifiquem a bordo de embarcações. Compete ao CODU-MAR o acionamento de meios para evacuação do doente, a organização do acolhimento em terra e posterior encaminhamento para o serviço hospitalar adequado. Para esta função, o INEM conta com a cooperação das estações Radionavais, estações Costeiras, Centros Navais de Busca e Salvamento, da Marinha e da Força Aérea, e com a Autoridade Marítima Nacional.

Os CODU são as centrais de emergência médica responsáveis pela medicalização do Número Europeu de Emergência – 112. Todas as chamadas recebidas através do 112, que envolvam situações de urgência ou emergência médica, são transferidos para os CODU. O funcionamento destas centrais é garantido por profissionais, com formação específica para efetuar o atendimento e triagem dos pedidos de socorro, o aconselhamento de pré-socorro, a seleção e acionamento de meios de socorro adequados, o acompanhamento das equipas de socorro no terreno e o contato com as unidades de saúde, preparando a receção hospitalar dos doentes.

O INEM conta diariamente com meios de socorro próprios e com meios disponibilizados pelos seus parceiros do SIEM, Corpos de Bombeiros e Cruz Vermelha Portuguesa. A 31 de Dezembro de 2019, distribuídos de norte a sul de Portugal, existiam: 56 Ambulâncias de Emergência Médica (AEM), 4 Helicópteros de Emergência Médica (HEM), 9 Motas de Emergência Médica (MEM), 358 Postos de Emergência Médica (PEM), 126 Postos de Reserva INEM, 40 Ambulâncias de Suporte Imediato de Vida (SIV), 4 Ambulâncias de Transporte Inter-Hospitalar Pediátrico (TIP), 4 Unidades Móveis de Intervenção Psicológica de Emergência (UMIPE), 44 Viaturas Médicas de Emergência e Reanimação (VMER), 4 Viaturas de Intervenção em Catástrofe (VIC), 1 Hospital de Campanha, 1 Posto Médico Avançado e diversos meios de exceção, que podem ser acionados pelas três delegações do INEM (Norte, Centro e Sul), com diversas ambulâncias e VMER. A estes números, somam-se ainda o empenho de meios de 23 entidades, com ambulâncias que não têm qualquer acordo com este instituto público, conhecidas como NINEM (Não INEM).